Câmara define formação da CPI que irá investigar vereadores afastados em Vilhena

por Dicom publicado 11/12/2019 09h05, última modificação 11/12/2019 09h06

Comissão tem 120 dias para investigação

A Câmara de Vereadores de Vilhena definiu a formação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que vai investigar supostas irregularidades cometidas pelos vereadores Antônio Marco de Albuquerque e Vanderlei Amauri Graebin, ambos afastados da Casa por decisão judicial. O sorteio dos componentes aconteceu durante a sessão ordinária de terça-feira (10).

Os parlamentares sorteados foram: Rafael Maziero (PSDB), Rogério Golfetto (PODEMOS) e França Silva (PV). Depois disso, os sorteados definiram as funções para atuação dentro da CPI. O vereador Rafael ficou como presidente; França, relator e Rogério como membro. A comissão tem 120 dias para investigação, que pode ser prorrogado por igual período.

A CPI foi instaurada em virtude da denúncia de um cidadão, protocolada na Câmara de Vereadores na semana passada. Ele pede que os vereadores sejam cassados pelos mesmos fatos apurados pelo Ministério Público de Rondônia (MP-RO). Os vereadores são suspeitos de envolvimento em crimes contra a administração pública.

Segundo a investigação do MP-RO, há indícios de que tenha existido fraudes em procedimentos licitatórios da Câmara de Vereadores. A suposta fraude teria ocorrido na prestação de serviços técnicos de manutenção em equipamentos de informática, entre os anos de 2009 e 2016.

Saiba mais: https://www.vilhena.ro.leg.br/institucional/noticias/camara-instaura-cpi-para-investigar-vereadores-afastados-em-vilhena


Câmara de Vereadores de Vilhena
Diretoria de Comunicação
Texto: Diretoria de Comunicação
Foto: Diretoria de Comunicação